memmolde      memórias da indústria de moldes do Norte de Portugal
   ::home
   ::projecto
   ::comissão de
      acompanhamento
   ::entrevistas
   ::seminário final
   ::workshop
   ::espólio
     -imagens
     -documentos
   ::brochuras
   ::link's
   ::contactos
Os serralheiros de Oliveira de Azeméis

A Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis promove no próximo dia 30 de Novembro uma sessão pública de apresentação do documentário "Os serralheiros de Oliveira de Azemeis", produzido pelo projecto memMolde, seguido de uma discussão e debate.
Programa:

21h00 - Sessão de abertura
Ápio Assunção - Presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis
Joaquim Menezes - Presidente do Centimfe

21h30 - Projecção do Documentário: "Os serralheiros de Oliveira de Azeméis"

22h15 -Uma perspectiva da fundação da indústria de moldes na Região Norte: que lições para o futuro?
Eduardo Beira - Projecto memMolde

22h45 - Encerramento da sessão
Ápio Assunção - Presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis

23h00 - Visita às Oficinas de Serralharia da Escola Secundária Soares Basto

A Sessão terá lugar na Escola Comercial e Industrial de Oliveira de Azeméis.


Segunda edição, revista e aumentada, do livro

A versão final do livro do livro “Indústrias de moldes no Norte de Portugal: PROTAGONISTAS. Uma colecção de testemunhos” está já disponível na versão electrónica.
Esta versão inclui uma nova parte I com os texto associados às intervenções no seminário final do projecto, assim como o texto de base do guião do documentário “Os serralheiros de Oliveira de Azeméis”, e ainda um prefácio de Joaquim Menezes, presidente do Centimfe.
A versão em papel tem uma capa cartonada com sobrecapa plasticizada a cores.
Mais (livro completo ou por capítulos)...



Reunião final da comissão de acompanhamento

A reunião final da Comissão de Acompanhamento do projecto teve lugar no dia 26 de Julho de 2007, no Hotel Dighton (Oliveira de Azeméis), sob a presidência de Joaquim Menezes, presidente do Centimfe.
Foram passados em revista os desenvolvimentos do projecto depois do seminário final (Serralves) e apresentada a segunda versão, revista e aumentada, do livro do projecto. O coordenador fez também uma apresentação dos principais resultados e conclusões do projecto, tendo salientado a proposta para a criação de um centro de arquivo documental da indústria, com o apoio de autarquias, universidades e empresas. Foi também discutida a apresentação e divulgação do documentário “Os serralheiros de Oliveira de Azeméis” com a colaboração da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e da Marinha Grande.
O representante da CM de Oliveira de Azeméis informou que tinha sido conseguida autorização para a recolha da documentação ainda existente nas instalações do antigo Centro Vidreiro, a qual estava já feita. Também o espólio pessoal de Júlio Mateiro foi recolhido em local apropriado.
O relator do projecto fez também uma avaliação final. A Comissão congratulou-se com os resultados e a mobilização conseguidas pelo projecto, e manifestou a expectativa de que seja possível alguma continuidade em projectos futuros.

Apresentação do coordenador do projecto
(slides, Eng. Eduardo Beira)



Henry Steffen

Durante mais de 30 anos, o Sr. Steffen (como ficou conhecido na indústria) comprou moldes em Portugal para vender em todo o mundo. Foi um dos primeiros agentes a comprar em moldes em Portugal, por meados dos anos 60. A partir de Junho de 1970 tornou-se sócio do Sr. Lacey, que por sua vez também foi dos primeiros a descobrir as oportunidades de comprar moldes em Portugal. Tiveram uma operação em Portugal, baseada na Nazaré. Em Oliveira de Azeméis foi dos primeiros a “descobrir” a Moldoplástico, a Pinhos & Ribeiro, a Macol e posteriormente a A. Silva Godinho.
O seu modelo de negócio era no entanto diferente dos agentes de compras de clientes terceiros: não vendiam moldes por si – vendiam ideias em plástico e o molde ia atrás. Compravam muitos moldes (novos ou usados) para a empresa, que depois colocavam em clientes seus.
Entrevista gravada a 26 de Julho de 2006, no Hotel Dighton, Oliveira de Azeméis, com a colaboração de Luis Pinheiro.

Biblioteca da Fundação de Serralves, 15 de Maio de 2007

O seminário de encerramento do projecto teve lugar a 15 de Maio 2007, na biblioteca da Fundação de Serralves. Foram apresentados pela primeira vez o documentário “Os serralheiros de Oliveira de Azeméis” e o livro “Indústria de moldes no Norte de Portugal: protagonistas. Uma colecção de testemunhos”, assim como versões vídeo das entrevistas em DVD de dados. Nalguns casos foram também distribuidos textos complementares.
As intervenções foram gravadas em vídeo e estão disponíveis na página do seminário, incluindo as intervenções do Professor Álvaro Ferreira da Silva (Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa) e ainda, dos Professores José Lopes Cordeiro (Universidade do Minho), Joaquim Costa Leite (Universidade de Aveiro) e Leonor Sopas (Universidade Católica Portuguesa. O Professor Valente de Oliveira (Universidade do Porto e Associação Empresarial de Portugal) fez também uma intervenção sobre o projecto e sobre a importância de estudar e aprofundar o “porque é que isto aconteceu assim?” na história de sucesso que é o desenvolvimento da indústria de moldes em Portugal, em particular no Norte de Portugal, e moderou depois o debate – em que participou também o Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis.
A sessão foi aberta e encerrada pelo presidente do Centimfe, Eng. Joaquim Menezes. O coordenador do projecto fez na altura uma apresentação breve do documentário e das conclusões do projecto.

Documentário memMolde Norte: “Os serralheiros de Oliveira de Azeméis”

No seminário final do projecto memMolde Norte, a 15 de Maio de 2007, foi apresentada a versão do documentário produzido pelo projecto memMolde Norte e relativo ao desenvolvimento do cluster de moldes em Oliveira de Azeméis, em especial desde os anos 40 até aos anos 80 do século XX. O filme tem a duração de cerca de 40 minutos.
O guião do filme baseia-se no texto de Eduardo Beira, “Os serralheiros de Oliveira de Azeméis: da ruralidade à globalidade, numa geração”, preparado para o projecto e utiliza quase exclusivamente materiais gráficos e de imagem recolhidos pelo projecto. A montagem foi da responsabilidade de Nuno Beira.

“Os serralheiros de Oliveira de Azeméis: da ruralidade à globalidade, numa geração”:
- capas e cronograma de empresas / trajectórias de protagonistas
- texto / guião do documentário



Ver filme

(duração: 41m46s, 81MB)
Livro memMolde Norte

A colecção de testemunhos recolhida pelo projecto foi organizada na forma de livro, com as transcrições revistas pelos entrevistados (que nalguns casos criaram mesmo novos textos). Como título “Indústria de moldes no Norte de Portugal: Protagonistas. Uma colecção de testemunhos”, o livro foi editado pelo coordenador do projecto, Eduardo Beira. Os textos editados dos vinte e dois protagonistas são nalguns casos ilustrados por imagens de carácter histórico recolhidas durante o projecto.
A imagem da capa é uma fotografia da oficina da Moldoplástico, do início dos anos 60, e recorda o ambiente típico da secção de bancada em “serralharias de moldes”.
Uma primeiras versão do livro está disponível para downolad e consulta, quer por capítulos quer no seu conjunto. Mais ...


Seminário final do projecto

O seminário final do projecto terá lugar no dia 15 de Maio de 2007, na Fundação de Serralves (Porto), 17:00 horas. Conta com intervenções do Professor Álvaro Ferreira da Silva, da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa e ainda de três membros da Comissão de Acompanhamento do projecto, os Professores José Lopes Cordeiro, Joaquim Costa Leite e Leonor Sopas. O Professor Valente de Oliveira, da Universidade do Porto e da Associação Empresarial de Portugal, moderará um debate sobre o papel da preservação da memória da indústria na construção do seu futuro.
Na ocasião serão distribuídos os materiais produzidos pelo projecto, em especial o livro com os testemunhos recolhidos com protagonistas da indústria no Norte de Portugal e a colecção de vídeos.
Brochura


Xavier Bueso e Eduardo Bueso

Uma tradição familiar que começou ainda nos anos 30 através do avô Bueso, catalão que se instala em Braga em tempo de guerra civil espanhola e que inicia aí uma indústria de tratamento de pelo de coelho, uma indústria fornecedora da chapelaria e então com forte implementação na zona. A empresa foi posteriormente integrada (“nacionalizada”) na Cortadoria Nacional do Pelo, durante a segunda guerra. Esta empresa ainda hoje existe (em S. João da Madeira) e é uma das poucas do sector que sobrevivem em todo o mundo, sendo reconhecido o seu elevado nível tecnológico.
Duas gerações depois, são os plásticos e as máquinas à volta dos plásticos que motivam uma série de empresas, inclusive de moldes, nos anos 70 a 90 e que criam uma descendência de empresas de moldes relacionadas e autónomas na região Norte – hoje ainda com continuidade em várias empresas sediadas em Braga e em Espanha.
Entrevista gravada a 23 de Março de 2007 nas instalações da Plásticos Bueso II, em Ferreiros (Braga).

Amadeu Soares

Começou a trabalhar aos 10 anos, só acabou a quarta classe depois de casar (aos 24 anos). Antes disso estava a trabalhar como “artista” na Metaloura e a produzir moldes para os USA, através do histórico Toni Junganalenen. Tinha entretanto aprendido a arte na fundição do Centro Vidreiro, ou mais precisamente no Centro Vulcano, onde estava durante o período da 2ª Guerra e onde foi colega de muitos dos primeiros a aventurarem-se em serralharias de moldes na zona de Oliveira de Azeméis.
Entrou depois para a Simoldes, no fim dos anos 50, quando eram apenas 10 ou 15 pessoas, e aí continuou como fresador e depois chefe de bancada. Reformou-se em 2000. Dois dos seus filhos trabalham na Simoldes.
Entrevista gravada a 21 de Março de 2007, nas instalações do Centimfe (Oliveira de Azeméis).


Workshop memMOLDE Norte na Semana dos Moldes

O projecto memMOLDE N promoveu um workshop "Projecto de moldes: quarenta anos depois", integrado na Semana de Moldes, no dia 16 de Novembro, numa sala do Hotel Dighton, em Oliveira de Azeméis, pelas 16:00 horas.
Mais de quarenta anos depois, uma oportunidade para revisitar três moldes seleccionados entre os mais antigos das colecções preservadas de desenhos de moldes produzidos na Simoldes, na Moldoplástico e na Mecamolde, analisados à luz das práticas e tecnologias de hoje por projectistas da nova geração da indústria e comentados por profissionais de então.
Uma oportunidade para reflectir e discutir sobre a evolução das tecnologias e da produção na indústria, das peças, dos clientes e dos concorrentes com base em três casos concretos dos anos 60.
Mais ….

Larry Fattori

A visão de um comprador directo americano na indústria europeia (anos 60) e depois portuguesa de moldes (a partir de 1968).
Larry Fattori é um empresário americano com uma vida dedicada com sucesso aos plásticos e ao desenvolvimento de produtos, dando aliás continuidade a iniciativas do pai, que nos anos 20 do século XX importou para os USA as primeiras máquinas para injecção de plásticos, a partir da Alemanha. Por isso a entrevista foi também uma oportunidade para rever aspectos dessa trajectória.
Entrevista gravada a 7 de Setembro de 2006, num hotel em Cascais, com a participação de Joaquim Menezes.


Miguel Barreiro

Tendo ingressado em 1967 na Simoldes, foi um dos seus primeiros comerciais e assim participou no processo de estruturação comercial da indústria durante os anos 70 e posteriores. Posteriormente continuou envolvido em actividades comerciais relacionadas com a indústria de moldes.
Entrevista gravada a 28 de Julho, nas instalações da Simoldes Aços, cuja colaboração se agradece.

Cipriano Bastos

Um dos sócios fundadores da Mecamolde (1983), empresa desde 2001 integrada no grupo Simoldes, Cipriano Bastos começou a sua vida profissional em 1960 na Oliva, passando depois pelos métodos de trabalho e na sala de desenho. Pelo meio deu continuidade à Metaloura, agora denominada CITAP e integrada no grupo Colep (Vale de Cambra).
Entrevista gravada a 28 de Julho, nas instalações da Simoldes Aços, cuja colaboração se agradece.


Armando Cepeda

Entrevista em Braga, a 28 de Julho de 2006, nas instalações da Associação Industrial do Minho, cuja colaboração se agradece.
Armando Cepeda começou a envolver-se com a indústria de moldes em 1962 depois de cumprir o serviço militar, começando a trabalhar na Somatex (uma empresa de moldes do Porto), colaborando depois com Pedro Viana Jorge (de quem foi desenhador projectista), passou por Angola na CIPAL (empresa de injecção de plásticos com cerca de 500 pessoas por altura do 25 de Abril), regressa a Portugal e vem a ser sócio da família Bueso na BCF, empresa de moldes sediada em Braga e que operou de 1978 até 1995, com uma vocação desde cedo para peças técnicas. Depois disso foi trabalhar para Espanha, numa empresa de componentes para a indústria automóvel.

Alberto Aguiar

Entrevista em Braga, a 18 de Julho.
Alberto Aguiar foi o responsável pela produção de electrodomésticos BLIC, uma marca portuguesa do início dos anos 80. A BLIC montava batedeiras, moinhos de café e ferros de engomar (sob licença da Braun espanhola). As peças plásticas eram injectadas pela Bueso (empresa de plásticos), em Braga, usando moldes produzidos numa empresa associada também em Braga.
A Bueso e a oficina de moldes foram aliás dos primeiros fornecedores portugueses de peças técnicas para a Renault em Portugal (R5).


António Rodrigues

A trajectória de (quase) cinquenta anos da Simoldes passada em revista e contada pelo líder da empresa, snr. António Rodrigues.
Do mercado nacional ao início da exportação (para Espanha), depois os USA e Europa, à importância posterior dos projectos da Renault e da Hoover em Portugal, passando pelo papel da Oliva e de outras empresas na formação de futuros quadros da indústria.
Entrevista gravada em Oliveira de Azeméis, a 11 de Julho de 2006, nas instalações da empresa.

segunda reunião da Comissão de Acompanhamento

Teve lugar em 6 de Julho passado, nas instalações do Centimfe em Oliveira de Azeméis, a 2ª reunião da Comissão de Acompanhamento do projecto.
Estiveram presentes 13 pessoas e foi passado em revista o ponto de situação do projecto, com base na comunicação do Eng. Eduardo Beira. O Professor Costa Leite, da Universidade de Aveiro, fez uma "leitura" e interpretação informal de algumas das imagens recolhidas pelo projecto e relativas aos passeios anuais do Centro Vidreiro. Foi também revisto o planeamento do projecto e considerada a oportunidade de pedir um prolongamento do período de execução por mais três meses, para evitar que os eventos finais do projecto coincidam com o mês de Dezembro de 2006 e a época de Natal.


MemMolde Norte na RTP2


A RTP2 passou, no passado dia 4 de Julho, pelas 19:00 horas e no programa 2010 uma reportagem sobre o projecto memMolde Norte, incluindo uma entrevista com Eduardo Beira. Esse material passou novamente pelas 2:00 horas do dia 5 de Julho.
Para visionar essa parte do programa, clique aqui .


Eduardo Bueso

Nos anos 70 Eduardo Bueso lançou em Braga várias iniciativas empresariais á volta das tecnologias dos plásticos, das máquinas ferramentas e da informática. De origem catalã, tinha-se especializa em tecnologias de plásticos nos anos logo após a Guerra.

Foi das primeiras empresas portuguesas a desenvolver um controlador electrónico baseado em microprocessadores para electrodomésticos (que fabricava: varinhas mágicas com mais do que uma velocidade) e a produzir máquinas ferramentas com controladores desse tipo (uma novidade para a época). Produziu também moldes, para uso interno e para o mercado, nas instalações em Braga.

2010 (RTP 2)



Foi gravada uma entrevista com o Eng. Eduardo Beira acerca do projecto memMolde Norte, no passado dia 31 de Maio, para o programa 2010, da RTP2. As razões e objectivos do projecto foram aí abordados, assim como a trajectória inicial da indústria de moldes em Portugal.


memMOLDE Norte presente em reuniões da indústria

No recente Encontro de Moldes, promovido pela Cefamol, no passado dia 13 de Maio, nas termas da Cúria, foi distribuída documentação do projecto aos participantes. Participaram nesta reunião cerca de 30 empresários e quadros da indústria.

Também no recente seminário Manufuture, organizado pela Cefamol e associado à reunião anual da ISTMA, na Figueira da Foz, a 13 de Junho passado, foi dado realce ao projecto e distribuída documentação aos participantes. Entre os participantes na reunião encontrava-se o responsável da DG Research da Comissão Europeia (Andrea Gentili), assim como o coordenador nacional do Plano Tecnológico (Professor Carlos Zorrinho). Participaram na reunião cerca de 60 pessoas.

Armindo Pinho

A Pinhos & Ribeiro foi uma das primeiras empresas fabricantes de moldes, tendo chegado a atingir uma dimensão importante. Por vezes conhecida como a “Universidade dos Moldes em Oliveira de Azeméis”, muitos profissionais do sector aprenderam aí a arte e a técnica dos moldes. Foi a primeira empresa a dedicar-se também ao fabrico de moldes (em alumínio) para a indústria do calçado (solas).
Entrevista com Armindo Pinho, gravada a 15 de Março.

Daniel Xará

Começou a vida profissional na Moldoplástico, no serviço de exportação e clientes, graças aos conhecimentos de línguas que adquirira no ensino técnico. Mais tarde, em finais dos anos 70, emigra com outros técnicos para os USA, onde conseguem fazer vingar uma empresa de moldes em alumínio – um caso único de implementação de produção directa no mercado americano. A JDD é hoje em dia uma continuação, em Portugal, dessa passagem pelos USA.
Entrevista gravada a 15 de Março.

Almeida e Sousa

Engenheiro, entre outras coisas, foi um dos primeiros especialistas portugueses em fundição e metalurgia, tendo de uma forma ou outra estado associado a quase todos os grandes empreendimentos industriais da área metalúrgica e metalomecânica no Norte de Portugal na segunda metade do século XX. Foi presidente da Associação Industrial Portuense (agora AEP).
Entrevista gravada a 13 de Março de 2006, nas instalações sede da AEP, na Avenida da Boavista (Porto)

Maria Lealdina

Uma vida profissional ao serviço do Centro Vidreiro, onde secretariou a administração até ao encerramento da unidade. Entrevista gravada a 20 de Fevereiro de 2006, na casa onde acompanhou Júlio Mateiro até à sua morte.
Disponibilizou para o projecto um importante álbum de fotografias dos passeios anuais promovidos pelo Centro Vidreiro. Ver fotos


Júlio Ramiro

Entrevista gravada a 20 de Fevereiro de 2006, na casa onde viveu o seu pai, o industrial Júlio Mateiro, a partir do inicio dos anos 80. Recordações de um líder empresarial, com grandes preocupações sociais e que centrou toda a sua actividade em torno do vidro, tendo chegado a atingir importantes níveis de verticalização. Júlio Ramiro chegou a colaborar directamente com o pai, tendo estado ligado durante alguns anos ligado ao Centro Vidreiro, na década de 70.

regresso à casa do industrial Senhor Mateiro

Por amável deferência da Fundação La Salette foi possível gravar as entrevistas com as pessoas ligadas à história do Centro Vidreiro do Norte de Portugal na casa onde viveu (a partir de 1981) e veio a falecer o Senhor Mateiro, uma das mais importantes figuras de industrial do Norte de Portugal nas décadas de 50 a 80 e uma das personalidades que mais marcou a região de Oliveira de Azeméis.
Uma casa com história e traça própria, que se espera venha a ser reconstruída e aberta ao serviço da comunidade local, no contexto do Parque de La Salette. Ver fotos...


António Castro

Uma trajectória diversificada mas ligada á industria dos moldes, passando por uma importante experiência como mestre das antigas Escolas Industriais (Espinho, Oliveira de Azeméis), onde ajudou a formar as primeiras gerações de técnicos da indústria, e incluindo períodos de gestão de unidades industriais na região.
Entrevista gravada em Oliveira de Azeméis, a 20 de Fevereiro de 2006

Joaquim Jardim (A. Silva Godinho)

De primeiro desenhador técnico ao serviço de uma das primeiras empresas de moldes (A. Silva Godinho) em Oliveira de Azeméis a especialista de moldes expatriado nos mercados do Norte de Africa, agora regressado às origens, a trajectória de Joaquim Jardim reflecte as mudanças do Portugal industrial nos últimos cinquenta anos.
Entrevista gravada em Oliveira de Azeméis, a 20 de Fevereiro de 2006


sessão memMOLDE no 8º congresso da indústria de moldes

O 8º Congresso da Indústria de Moldes decorreu no dia 25 de Novembro de 2005, na cidade da Marinha Grande, e reuniu cerca de duzentos participantes e um importante programa de comunicações e debates.
O projecto memMolde fez uma sessão de apresentação do projecto, procurando sensibilizar as empresas para a preservação da sua memória empresarial e para a colaboração com o projecto, assim como para a organização interna da documentação assim como para a organização interna da documentação e amostras. Foi feita uma apresentação do projecto pelo Eng. Eduardo Beira, que discutiu também a importância da organização de moldotecas pelas empresas e a sua "virtualização" por imagens em sites como o do projecto memMolde.

primeira reunião da comissão de acompanhamento

A primeira reunião da Comissão de Acompanhamento do projecto teve lugar a 23 de Novembro, em Oliveira de Azeméis, nas instalações do Centimfe, e constitui uma primeira oportunidade para fazer um ponto de situação do projecto e discutir o seu desenvolvimento. Estiveram presentes 13 dos 18 membros da Comissão, entre os quais o senhor Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. O Eng. Joaquim Menezes, presidente do Centimfe, abriu a sessão com uma apresentação do projecto e o Eng. Eduardo Beira fez depois um ponto da situação sobre a metodologia do projecto, os trabalhos já efectuados e o plano para os trabalhos remanescentes, centrados nas gravações de entrevistas com os protagonistas da indústria na região. Seguiu-se um período de discussão em que intervieram quase todos os membros da Comissão e onde foram adiantadas sugestões importantes sobre os passos seguintes do projecto. O jantar que se seguiu no Hotel Dighton permitiu um continuar da conversa num ambiente mais informal.



Lúcio Rodrigues (Moldoplástico)

Gravação feita a 21 de Novembro, com Lúcio Rodrigues, o outro sócio fundador da Moldoplástico. Apesar das dificuldades de saúde actuais do Sr. Lúcio Rodrigues, a sua ajuda permitiu reconstituir os passos iniciais da sua carreira e completar a identificação uma empresa de vida curta (a Rodrigues, Carvalho & Cª) sediada em Oliveira de Azeméis e onde o Sr. Lúcio se iniciou profissionalmente. Essa empresa foi anterior à constituição da Moldoplástico e das outras empresas de moldes locais. Antes da constituição da Moldoplástico, o Sr. Lúcio passou pelo Centro Vulcano e depois pela AHA, onde trabalhou directamente com Aníbal Abrantes.

Joaquim Landeau (Moldoplástico)

Gravação feita a 21 de Novembro, com o Sr. Joaquim Landeau, um dos fundadores da Moldoplástico, e que havia aprendido a “arte” no Centro Vulcano, depois de trabalhar como vidreiro no Centro Vidreiro do Norte de Portugal. O Centro Vulcano fazia parte da unidade empresarial Centro Vidreiro, onde pontificava o empresário Sr. Manuel Mateiro, uma figura incontornável da indústria no Norte de Portugal na primeira metade do século XX.

Álvaro Pinho (A. Silva Godinho)



A terceira entrevista gravada no âmbito do projecto foi feita a 3 de Novembro de 2005, com o Sr. Álvaro Pinho, um dos fundadores da A. Silva Godinho, em Bustelo (Oliveira de Azeméis).

encontro da indústria de moldes (Coimbra)

O Encontro da Industria de Moldes, organizado pela Cefamol em Coimbra, em 8 de Outubro 2005, constituiu uma oportunidade para divulgar o projecto memMOLDE junto das empresas de moldes presentes, tendo sido distribuídos materiais promocionais do projecto.



segunda entrevista: António Silva (A. Silva Godinho)



O Sr. Antonio Silva foi um dos fundadores da A. Silva Godinho, uma das mais antigas e importantes empresas portuguesas de moldes, tendo começado a trabalhar na firma inicial de Aires Roque & Irmão. Gravação feita a 29 de Outubro de 2005

Ernesto São Simão

A primeira entrevista do projecto foi gravada a 21 de Julho de 2005 com o Sr. Ernesto São Simão, fundador da empresa, e com a participação do seu filho e continuador, Eng. Manuel Simão. A Ernesto São Simão, localizada na Maia, foi uma das primeiras empresas portuguesas de moldes, tendo a sua origem no negócio dos cunhos para ourivesaria.



Bem vindo

24 / October / 2021




Clique para ver o vídeo
(41 min):